Notícias Política e Eleição

09/08/18 - 19h42 - atualizada em 09/08/18 às 19h47

Vereador Marcelinho Rodrigues busca vaga no legislativo estadual

Eleito quatro vezes como vereador, candidato do PP acredita que chegou a hora de representar Irati e região na Assembleia Legislativa

Edilson Kernicki, com reportagem de Rodrigo Zub 

Marcelinho Rodrigues está em seu quarto mandato na Câmara de Irati

O presidente do Diretório Municipal do Partido Progressista (PP) em Irati, Marcelinho Rodrigues, entrou na disputa por uma das 54 cadeiras da Assembleia Legislativa (ALEP). O vereador, que se licenciou do cargo para se dedicar a campanha eleitoral, está em seu quarto mandato na Câmara. Por isso, ele acredita que é a hora de levar sua experiência no Legislativo à esfera estadual.

Antes da atual legislatura, Marcelinho Rodrigues foi vereador em três mandatos consecutivos: de 2001 a 2004, de 2005 a 2008 e de 2009 a 2012. No biênio 2007-2008 presidiu a Câmara de Irati e foi prefeito interino durante licença do prefeito Sérgio Stoklos e de sua vice Marisa Massa Lucas.

PUBLICIDADE

Marcelo faz parte do PP desde 2003 e afirma que, por seu bom relacionamento com os parlamentares da sigla, foi convidado a representar a região nas eleições proporcionais estaduais. “Por eu ocupar uma vaga na Câmara Municipal – estamos exercendo o quarto mandato de vereador, já fui presidente da Câmara, assumi como prefeito em exercício [em 2008] – então tenho uma experiência política que posso trabalhar, através da Assembleia, porque é o cargo que estou ocupando e ao qual estou concorrendo, que é do Legislativo”, justifica.

Confira a entrevista completa de Marcelinho no fim do texto

O Partido Progressista formou coligação, para a disputa proporcional no estado, com mais quatro partidos: PSB, DEM, PSDB e PTB. “Estimamos que, com esse grupo de candidatos a deputados estaduais possamos fazer de 15 a 20 vagas na ALEP. Ou seja, a oportunidade de eu, de repente, entrar nessa leva de candidatos eleitos é muito grande. Preciso do apoio de Irati e da região votando nos candidatos daqui de Irati para que eu seja um dos vitoriosos, porque a oportunidade é muito grande neste momento. Estou numa coligação que é a mais forte de todas, numa composição em nível estadual”, considera.

PUBLICIDADE

Representantes da região

Marcelo acredita que tanto ele quanto os demais candidatos a deputado estadual de Irati – o médico e ex-prefeito Felipe Lucas (PPS); o servidor público e ex-prefeito Odilon Burgath (PDT) e o também vereador Roni Surek (PROS) – estão em igualdade de condições no pleito e têm chances de eleição. “Quero cumprimentá-los pela coragem e dizer que não estamos dividindo; iremos participar todos. Eu não falarei mal de nenhum dos candidatos, aquele eleitor que queira votar nos candidatos de Irati, também estarei apoiando, pedindo voto para mim, como candidato a deputado, porque temos que pensar em Irati e na região. É um momento de união pela nossa região, porque Irati e região precisam de um representante”, ressalta.

Para o candidato do PP, a região possui condições de eleger até mais do que um deputado estadual. “Como temos quatro candidatos em Irati e não temos candidatos nas cidades vizinhas, temos um colégio eleitoral da Amcespar acima de 180 mil votos válidos, que têm condições de eleger, sim, de dois a três deputados estaduais e de dois a três deputados federais. É importante que a sociedade vote consciente e vote nos candidatos da nossa região”, estima.

PUBLICIDADE

Projetos para Irati

O candidato propõe que, se eleito, montará um escritório regional sediado em Irati para atender aos eleitores do município e das cidades vizinhas, sem que eles precisem se deslocar até a ALEP, em Curitiba, para apresentar suas demandas. A proposta é semelhante à de outros deputados estaduais já fazem em suas bases eleitorais. “Em vez de nossos eleitores da região terem que se deslocar até a capital do Estado, eles virão a esse escritório, no qual darei atendimento. Será um deputado próximo à sociedade”, diz.

Outro projeto que ele considera importante e pretende assumir é a luta para que Irati tenha um Grupamento do Corpo de Bombeiros. Hoje a cidade conta com um Subgrupamento do 2º Grupamento (Ponta Grossa). “Temos a ideia e o desejo de torná-lo um Grupamento porque hoje, se ocorre um acidente na região de Rebouças, Rio Azul, Mallet, as viaturas do Corpo de Bombeiros têm que se deslocar desde Irati até essas cidades vizinhas. Em Rebouças, temos o Bombeiro Comunitário, que dispõe de um caminhão pipa. Com o Grupamento do Corpo de Bombeiros, além de termos efetivos para destinarmos aos municípios, teríamos mais viaturas e mais condições de atendimento, porque nossa rodovia BR-153, hoje, não dispõe de uma sinalização completa, tem vários acidentes. Precisamos ter uma condição maior de atendimento às pessoas que trafegam, e também a quem vai a Inácio Martins. Com o Subgrupamento, hoje não tem condições”, argumenta.

PUBLICIDADE

O candidato aponta que, se por um lado hoje o Subgrupamento conta com um efetivo de 29 bombeiros, há muitos anos não há concurso público para o preenchimento de vaga. Marcelinho também destaca o fato de que, há bastante tempo, foi fechado o Escritório Regional da Sanepar em Irati. “Estamos perdendo para outros municípios. Por isso que temos que eleger um deputado estadual que represente nossa região e que traga não as migalhas do bolo e, sim, o bolo inteiro. Através dos impostos que os cidadãos pagam, temos que ter os benefícios aqui”, sustenta.

Licença da Câmara

Ainda que a campanha eleitoral tenha um período mais curto hoje em dia – 45 dias – o vereador optou em se licenciar da Câmara Municipal. Marcelo afirma que essa opção se deve à campanha feita em outros municípios, que poderia coincidir com os dias de sessão ordinária. “Pedi a licença do cargo para que meu suplente, Jorge Zen, que é um grande companheiro do meu partido, ter essa oportunidade de desempenhar e para que aquelas pessoas que votaram no Jorge, que possam acompanhá-lo como vereador, de fato e legítimo”, sustenta.

PUBLICIDADE

Dobradinha com Ricardo Barros

O candidato a deputado estadual, desde 2002, apoiava a candidatura de Dilceu Sperafico (PP) a deputado federal. Porém, ele não vai participar das eleições deste ano. Com isso, o vereador vai fazer a chamada “dobrada” com Ricardo Barros, também do PP. “Nessa caminhada, o Sperafico já não é mais candidato a deputado federal, ele está em seu sexto mandato. Agora optei em fazer a dobrada com o Ricardo Barros, ex-ministro da Saúde e marido da governadora Cida Borghetti. É uma pessoa que tem uma experiência muito grande, um bom conhecimento. Acredito que, com a dobrada Ricardo Barros e Marcelinho, Irati tenha muito a ganhar nesse processo eleitoral”, aposta.

Coordenação da campanha de Cida 

Como presidente do diretório do PP no município, Marcelinho chegou a ser cogitado como coordenador da campanha de reeleição de Cida Borghetti ao Palácio Iguaçu. Entretanto, ele preferiu manter sua candidatura a deputado estadual, visto que teria que abrir mão de concorrer para se dedicar com exclusividade à coordenação da campanha da governadora.

“Fui convidado a coordenar a campanha da governadora Cida Borghetti e eu não poderia concorrer à eleição. Como eu venho há mais de um ano comentando com lideranças, com meus amigos, com meus familiares, que eu iria concorrer a essa vaga de deputado, então eu optei em manter minha candidatura e deixei a coordenação. Porque na coordenação, eu teria que fazer exclusivamente a candidata ao governo e não aos deputados. Optei porque achei que perderia muito em falar que eu seria candidato e, de repente, desistir”.

PUBLICIDADE

Majoritárias

Após a desistência de Osmar Dias (PDT), e a confirmação das candidaturas de Dr. Rosinha (PT), Ratinho Jr. (PSD) e João Arruda (MDB), além de outros seis candidatos de partidos nanicos (PRTB, PSTU, REDE, PSL, PCO e PSOL), o candidato a deputado estadual considera que Cida Borghetti (PP) “vai crescer”. “Para quem não a conhece, ela já foi deputada estadual, foi deputada federal, ela enfrentou um câncer de mama e hoje acredito que seja uma das pessoas mais preparadas para atender à saúde pública do nosso estado, porque ela sentiu na pele o que é ter um câncer. Como na nossa região, sabemos que a maioria das pessoas tem problemas com a saúde, através do câncer, e sabe da dificuldade, acredito que a Cida vai olhar com olhos diferentes para a saúde pública, a qual nossa região e nossa cidade tanto clama”, avalia.

Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá

Ouça a entrevista completa com Marcelinho Rodrigues

Comentários

AO VIVO
AM
00:00 às 05:00 Rede Milícia da Imaculada Rede Milícia Sat
FM
00:00 às 04:00 Najuá Night Club Programação Najuá