Notícias Paraná

10/11/19 - 12h21 - atualizada em 10/11/19 às 14h05

Portaria acaba com data-limite para plantio da soja safrinha

Com a mudança, agricultores podem realizar o plantio em janeiro e colher até 15 de maio

Da Redação, com informações Assessoria da deputada Leandre Dal Ponte 

Deputada Leandre Dal Ponte (foto) recebeu reivindicação dos produtores da região Sudoeste para que fosse alterada a data-limite para plantio da soja safrinha

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (ADAPAR) publicou nesta semana uma portaria que acabou com a data-limite para o plantio de soja safrinha no estado. Agora, produtores podem efetuar o plantio em janeiro e colher até 15 de maio do ano agrícola, data fixada pela portaria como prazo final para a colheita ou interrupção do ciclo da cultura da soja no Paraná.

A deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR), que levou a demanda de agricultores da região Sudoeste à Secretaria de Agricultura do Paraná e ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) comemorou a novidade. “A portaria tira dos ombros uma grande penalização que os produtores vinham sofrendo nos últimos anos. Eles só podiam plantar até o dia 31 de dezembro e isso trazia um prejuízo enorme porque eles não conseguiam fazer o plantio até essa data”, disse.

Antes da mudança, o plantio da safrinha poderia ocorrer, no máximo, até o dia 31 de dezembro, o que impedia o produtor paranaense de realizar dois cultivos de soja no mesmo ano. A portaria da ADAPAR traz, no entanto, uma ressalva: continua proibida a semeadura e cultivo de soja em sucessão à soja. Ou seja, o produtor deve fazer a rotação de culturas – fazer a alternância entre espécies vegetais que apresentem exigências nutricionais distintas e que não apresentem suscetibilidade aos mesmos tipos de pragas. Pode alternar com feijão ou milho, por exemplo.

CLIQUE AQUI E RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP

PUBLICIDADE

“Seguramente, é uma grande vitória para os produtores, já que temos um microclima muito diferente do resto do Estado; então temos que ser vistos de forma diferente. Numa conversa com a Secretaria de Estado, houve questionamentos nesse sentido e solicitaram uma audiência no MAPA e mostramos aos técnicos que precisamos ter uma visão mais ampla. A experiência de todos os agricultores é a melhor pesquisa que podemos ter”, comentou a parlamentar.

O vazio sanitário passou a ser de 10 de junho a 10 de setembro. Nesse período, é proibido o cultivo ou manutenção de plantas vivas da soja em qualquer estágio de crescimento. Assim, produtores devem eliminar as plantas vivas de soja – as “plantas guaxas” até o dia 9 de junho.


Comentários

AO VIVO
AM
09:00 às 10:00 Espaço Cidadão Paulo Sava
FM
09:00 às 11:30 Sintonia Máxima Nilton Luy