Notícias Irati e Região

17/01/19 - 02h19 - atualizada em 17/01/19 às 02h28

Saúde deve priorizar efetivação dos prontuários eletrônicos até 2020

Houve um investimento do Município em informatização do Pronto Atendimento e das então 24 Unidades Básicas de Saúde em 2012, que não vingou

Da Redação, com reportagem de Jussara Harmuch 

A Secretaria de Saúde de Irati, a exemplo do que já ocorre em outros municípios, deve priorizar a efetivação dos prontuários eletrônicos até 2020. O prefeito Jorge Derbli (PSDB), ao retomar o expediente da Prefeitura no início do ano, organizou uma reunião com os secretários municipais e pediu que cada um elencasse a prioridade de investimento do setor para essa segunda metade do mandato.

Na Saúde, a opção foi pela efetivação dos prontuários eletrônicos até o final de 2020. Em entrevista na Rádio Najuá, o prefeito assegurou que será implantado ainda neste ano. Houve em 2012 um investimento do Município na informatização do Pronto Atendimento (PA) e das então 24 Unidades Básicas de Saúde (UBS). A informatização das Unidades de Saúde as tornaria interligadas e agilizaria o atendimento de pacientes e a distribuição de medicamentos. O prontuário eletrônico seria acessado em qualquer uma das unidades, e exibiria um histórico clínico de cada paciente cadastrado. O projeto, entretanto, não chegou a vingar e vem sendo alvo de novas promessas desde então.

PUBLICIDADE

A implantação do prontuário eletrônico nas unidades de saúde foi uma proposição do Legislativo em 2011, através do PL 012/2011, do ex-vereador Rafael Felipe Lucas. Na ocasião, o também ex-vereador Vilson Menon alertou para a dificuldade de implantação do sistema, que poderia sofrer sobrecarga de dados e provocar ainda mais lentidão no atendimento, com crescente demanda.

“É uma rede em que cada paciente de Irati, cada iratiense que é tratado, por exemplo, em Gonçalves Júnior, imediatamente temos acesso aqui no centro, através do programa, para sabermos o dia em que ele foi atendido, o exame que foi solicitado, o remédio que foi entregue a ele. E depois, consegue-se acessar, pelo CPF, o histórico desse paciente para saber quais atendimentos ele recebeu”, comenta.

PUBLICIDADE

Na visão de Derbli, a informatização serve inclusive para economizar recursos da Saúde, porque inibe aquele paciente que costuma frequentar mais de um posto para pedir uma “segunda opinião”. “Por exemplo, o paciente vai no Riozinho, o médico atende, pede três exames e dá tal tipo de remédio. Duas semanas depois, ele vai no posto da Vila São João e não conta que foi no Riozinho. O médico, novamente, pede mais três exames, dá mais remédio. E, assim, sucessivamente”, diz.

Com o prontuário, o médico vai saber se o paciente já foi atendido, que exames foram solicitados e, até mesmo, seus resultados e o histórico clínico daquele paciente. O histórico clínico em mãos permite ao médico também indicar mais corretamente a receita para o paciente, considerando eventuais hipersensibilidades a seus componentes ou reações adversas, se houver.

“A Secretaria de Saúde, o Hospital [Santa Casa], o Consórcio de Saúde (CIS/Amcespar) e a Regional de Saúde (4ª RS), os quatro devem integrar um sistema só, para que resolva. Isso vai ajudar ao paciente a resolver o mais breve possível. Recentemente, quando fizemos uma triagem dos exames requisitados, para uma mesma pessoa foram solicitados em quatro, cinco postos diferentes”, ressalta.

Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá 

Comentários

AO VIVO
AM
15:10 às 17:00 Show da Tarde Edson Luiz
FM
16:30 às 17:00 As 7 Mais do Site Najuá As 7 Mais do Site Najuá