Notícias Irati e Região

08/08/11 - 17h14 - atualizada em 19/08/11 às 11h31

Residências do "Minha Casa Minha Vida" da Vila São João serão entregues em agosto, diz construtora

A previsão de entrega das chaves, pelo menos para parte dos proprietários, é ainda dentro do mês de agosto, em atendimento ao que foi estipulado pela Caixa, segundo o que informou a empresa Sedro.

Marli Traple


Depois de ter recebido reclamações de ouvintes descontentes com a demora na entrega das unidades do programa “Minha Casa Minha Vida” em Irati que está sendo construído na Vila São João, a reportagem da Rádio Najuá saiu em busca de informações sobre o que está faltando para a conclusão da obra e qual o prazo de entrega das unidades.

No total são 406 casas: 296 de 37m² serão sorteadas para famílias com renda de até três salários mínimos e serão subsidiadas pelo governo exigindo menor contribuição dos mutuários . Outras 110 casas de 63m², destinadas para quem tem renda familiar acima de três salários mínimos, estão sendo financiadas pela Caixa Econômica Federal (CEF). A entrega das casas era para ser feita em poucos dias, mas dificuldades na documentação de cadastro de pessoas para o financiamento e fatores como chuvas, atraso na entrega de materiais e, principalmente, a busca por mão de obra qualificada, acabaram atrasando a conclusão da obra frustrando a expectativa inicial.

A construtora Sedro com sede em Irati, foi vencedora da licitação para construção das moradias menores e a Fronter, com sede em Pato Branco, das 110 casas de 63m² que foram construídas em dois lotes, lado a lado. A previsão de entrega das chaves, pelo menos para parte dos proprietários, é ainda dentro do mês de agosto, em atendimento ao que foi estipulado pela Caixa, segundo o que informou a empresa Sedro.


Rodolfo Garbelini Jr, engenheiro da construtora Sedro informou que as casas serão entregues no início de agosto para que seja feita a fiscalização da Caixa
Rodolfo Garbelini Jr, engenheiro da construtora Sedro informou que as casas serão entregues no início de agosto para que seja feita a fiscalização da CEF (chamada de “pente fino”), onde duas ou três pessoas entram em cada casa para testar as portas, janelas, instalações hidráulicas e elétricas, para garantir maior segurança. Segundo o engenheiro, a fiscalização deve ocorrer entre os dias 11 e 12 de agosto e será feita, provavelmente, em dois dias. Se não houver irregularidade, já serão entregues para a Caixa prosseguir com o sorteio que deve durar o período de uma semana.


Vandalismo


Outro fator que também contribuiu para o atraso foram os estragos decorrentes da ação de vandalismo que ocorreu no dia 18 de julho, quando funcionários da Sedro chegaram para trabalhar na obra e encontraram parte das casas depredadas. Pelas contas da empresa, foram furtados fios de cobre de 25 casas, além de vidros quebrados e marcas de barro pelo chão e paredes.

Garbelini, disse à reportagem da Najuá que consertos de partes danificadas são realizados pela construtora que é responsável pela obra até o momento da entrega das casas. O custo adicional é coberto com o dinheiro de um seguro obrigatório, mediante vistoria e laudo técnico da CEF (Caixa Econômica Federal) que justifique. Mas, ele explica “o dinheiro usado para esse fim, sai do bolso do próprio contribuinte”.


Falta de mão de obra qualificada


A dificuldade de conseguir mão de obra qualificada é uma das maiores dificuldades e causas de atrasos das obras já iniciadas do programa Minha Casa Minha Vida em todo o Brasil. Em Irati não foi diferente, relata Garbelini, que também destaca a preocupação da empresa com a qualidade do serviço oferecido.


Cobrança dos mutuários já começou


A reclamação que partiu de um ouvinte foi referente a dificuldade que está tendo para dar conta de pagar a cobrança da parcela do financiamento da caixa que já começou a ser cobrada junto com o aluguel para morar até que as residências sejam entregues. 

A reportagem procurou a Caixa Econômica para esclarecer a partir de quando está sendo feita esta cobrança, qual é o valor das parcelas, prazo do financiamento e sobre quais foram os critérios de escolha dos lotes. Também sobre os critérios do sorteio das casas totalmente subsidiadas, que será motivo de outra matéria, na sequência.


Continuidade do programa em 2011


O programa de habitação popular Minha Casa, Minha Vida travou na faixa de renda de zero a três salários mínimos no Brasil inteiro, e no Paraná, a Caixa Econômica Federal contratou 14.443 unidades de janeiro a maio – último dado disponível –, mas todas eram apenas para famílias com renda de três a dez salários mínimos.



Comentários

AO VIVO
AM
14:00 às 15:00 Show da Tarde Edson Luiz
FM
14:00 às 15:00 Sequência do Ouvinte Anderson Harmuch