Notícias Irati e Região

14/11/19 - 23h48 - atualizada em 16/11/19 às 11h16

Primeira etapa de castração deve abranger 120 animais

Até o fim de 2019, estão previstos cerca de 200 procedimentos

Da Redação, com reportagem de Paulo Henrique Sava e Rodrigo Zub 

Intenção da prefeitura é castrar 200 animais até o fim do ano

O serviço municipal de castração de animais, que pretende reduzir a população canina nas ruas de Irati, deve realizar o procedimento em 120 animais em sua primeira etapa, iniciada dia 8 de outubro. Até o final do ano, cerca de 200 animais devem ser castrados. Os bairros Jardim das Américas e Alto da Lagoa, que reúnem a maior concentração de animais de rua, foram os primeiros a ser atendidos. Desses dois bairros, foram selecionados 19 animais para castração. No bairro Pedreira, atendido na semana seguinte, mais 14 fêmeas foram castradas. A previsão é de que o serviço prossiga na Vila Raquel e, depois, na Vila Matilde e Vila Nova.

A empresa vencedora da licitação (pregão 57/2019), Fernanda Boico Macedo ME, com sede em Porto União (SC), está atuando em parceria com uma clínica de Irati. Essa primeira etapa prevê a cirurgia de castração de 100 fêmeas – de cães e gatos, com consulta de pré-operatório, transporte de onde o animal está até a clínica e retorno, uma diária de internamento, analgésico, antibiótico, assistência para o proprietário tirar dúvidas sobre o pós-operatório e, depois de 10 dias, deslocamento para a retirada de pontos. Cada cirurgia foi contratada por R$ 480 (R$ 48 mil ao todo). Também foram contratadas 20 orquiectomias (castração de machos), a R$ 340 cada uma – ou R$ 6.800.

Os animais recolhidos para castração, portanto, passam pelo procedimento no município de Irati, sem depender de transporte para outro município. Conforme a secretária de Ecologia e Meio Ambiente, Magda Lozinski, isso reflete em redução de despesas e diminui o estresse dos animais no pós-operatório. “Talvez a ida até Porto União não seria tão sofrida para os animais, mas no retorno dos animais recém-operados, acho que eles teriam certo desconforto”, afirma.

CLIQUE AQUI E RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP

PUBLICIDADE

“Queremos atender ao máximo de bairros do município. Fizemos uma média, uma estimativa de aproximadamente 14 animais por bairro”, comenta a secretária.

O critério adotado para selecionar os primeiros animais a serem castrados foi o de recolher aqueles que possuem um “mantenedor”. São os animais que vivem na rua, em casinhas, mas que algum morador alimenta e fornece água – os chamados “animais comunitários”. “O animal não fica dentro da residência. Ele mora na rua, porém tem alguém que cuida. Nesse primeiro momento, são esses os animais que o projeto está atendendo, para ter um maior controle populacional de animais de rua”, explica Magda.

Caberia a esse mantenedor ministrar o remédio ao animal durante o processo de recuperação da cirurgia, entre sete a dez dias, e informar o veterinário sobre a evolução do pós-operatório. Magda revela que não há dificuldade em identificar o mantenedor dos animais de rua, ao contrário do que se esperava. “Vemos que as pessoas que se preocupam com o animal, a partir do momento que estamos caminhando no bairro, fazendo a seleção de animais, eles vêm nos procurar”, conta.

Numa segunda etapa, o serviço de castração deve passar a atender não só aos animais abandonados, de rua, mas também aqueles que vivem com as famílias, mediante cadastramento. Serão estabelecidos alguns critérios para essa seleção, como a baixa renda, ou famílias que mantêm muitos animais e pessoas que atuam como cuidadores.

Está aberto o credenciamento, na modalidade de inexigibilidade, (28/2019) para as clínicas veterinárias interessadas. “Todas as clínicas veterinárias interessadas no processo licitatório terão direito a atuar dentro desse processo. Não será um processo licitatório para [contratar] apenas uma única clínica. Credenciou-se, terá o direito a fazer o procedimento. O objetivo do certame é contratar 400 cirurgias de castração de fêmeas (ovariosalpingohisterectomias), para cães e gatos, ao preço unitário de R$ 280 – custo total de R$ 112 mil”, explica a secretária.

Castramóvel

O pregão eletrônico 39/2019, para a aquisição de um Castramóvel, em atendimento a proposta 09485.3330001/22-98/FNS/Ministério da Saúde, permanece em andamento. O edital foi publicado há seis meses e tem como valor máximo admitido R$ 125 mil.

“O Castramóvel seria pela Secretaria de Saúde. Aí existiria um segundo projeto”, diferencia Magda.

O veículo já foi adquirido e está em fase de plotagem.


Comentários

AO VIVO
AM
10:00 às 11:00 Experiência de Deus Padre Reginaldo Manzotti
FM
09:00 às 11:30 Sintonia Máxima Nilton Luy