Notícias Irati e Região

05/08/19 - 00h17 - atualizada em 05/08/19 às 00h35

Prefeitura de Rio Azul solicita empréstimo de R$ 4,7 milhões

Dinheiro de operação de crédito junto à Fomento Paraná será utilizado para adquirir ônibus e caminhões e pavimentar ruas. Projeto está tramitando na Câmara e deve ser votado em breve

Da Redação 

Um ano depois do Centenário, revitalização da Praça Tiradentes (foto) ficou no papel

O projeto que previa a revitalização da Praça Tiradentes, no Centro de Rio Azul, como um presente ao município pelo seu Centenário, no ano passado, virou centro de polêmicas nas discussões da Câmara. Os vereadores chegaram a sugerir o tombamento do logradouro como patrimônio histórico, pois temiam que a revitalização descaracterizasse a praça.

Recentemente, os vereadores rejeitaram um projeto de lei que autorizava o município a realizar operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal no valor de R$ 5 milhões que seria destinado para pavimentação de ruas, compra de caminhões e revitalização da Praça. O projeto recebeu cinco votos favoráveis e quatro contrários. Porém, acabou sendo rejeitado por não alcançar o quórum mínimo exigido de dois terços, ou seja, seis votos favoráveis.

Depois disso, o prefeito Rodrigo Solda encaminhou à Câmara outro projeto de lei que autoriza a contratar operação de crédito junto à Fomento Paraná até o limite de R$ 4,7 milhões para aquisição de ônibus, caminhões e pavimentação de ruas. O projeto foi recebido na última sessão ordinária de junho, no dia 25. Dois dias depois, ele recebeu parecer favorável na Comissão de Constituição e Justiça. Segundo a assessoria da Câmara, em razão do recesso parlamentar de julho, o projeto deverá ter seu trâmite retomado a partir do retorno das atividades do legislativo no dia 6.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP

PUBLICIDADE

“Posso ter sido mal interpretado por alguns, outros não fizeram questão de entender que era um presente do Centenário de Rio Azul. Não é uma mera praça. Queríamos colocar nela, além de embelezamento, utilidade; equipamentos que iam beneficiar desde as crianças até os idosos”, comenta o prefeito Rodrigo Solda.

De acordo com o prefeito, a revitalização antevia um projeto do Ministério do Desenvolvimento Regional (antigo Ministério da Integração Nacional) que, inicialmente, vai envolver as cidades mais populosas, com mais de 200 mil habitantes. “Consegui fazer um projeto antes, voltado a uma cidade pequena, com valor bem abaixo do que vai ser lançado. Na Marcha dos Prefeitos, presenciei e gravei o ministro [Gustavo Canuto] mostrando o projeto, a maquete, como fizemos a nossa aqui. Mas, infelizmente, os vereadores acharam que eu estava querendo gastar o dinheiro com algo que não era prioritário. Na verdade, primeiro, não era gastar dinheiro; segundo, era dar mais tempo para a cidade se planejar para fazer o pagamento em dez anos, diferente de uma emenda ou convênio, que temos que liquidar no próprio exercício financeiro”, prossegue.

Para encerrar a discussão, Solda preferiu voltar atrás e retirar o projeto de revitalização da Praça Tiradentes. O pedido de empréstimo à Caixa Econômica Federal, de R$ 5 milhões, que atenderia a três finalidades – R$ 3,3 milhões para pavimentação, R$ 1 milhão para compra de caminhões e R$ 700 mil para a revitalização da Praça foi substituído. Em seu lugar, foi encaminhado um pedido de empréstimo de R$ 4,7 milhões, via Fomento Paraná, para a aquisição de dois ônibus e três caminhões, além de pavimentar ruas ainda sem asfalto, como as das Vilas Diva e Veronez. Segundo o prefeito, esse pedido de empréstimo feito ao Governo do Estado é a juros mais baixos do que o que seria contraído junto à Caixa.

PUBLICIDADE

Em entrevista à Najuá, prefeito Rodrigo Solda disse que operação de crédito junto à Fomento Paraná tem juros mais baixos do que projeto anterior rejeitado na Câmara

“Já consegui dois ônibus novos, que estão em vias de chegar a Rio Azul, para a Educação. São ônibus escolares. Nos cadastramos pela forma correta, através do FNDE [Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação], em Brasília, como todos os municípios do País fizeram. Mas temos um limitante: mesmo com o financiamento, tenho que respeitar às regras do FNDE para conseguir a mesma qualidade de ônibus, porque são novos. Vamos fazer essa conformação para obter mais três ônibus. Já entreguei oito ônibus em Rio Azul e agora vou buscar mais esses dois, que estão em vias de chegar, e financiar mais três. Fiz o projeto, substituindo a Praça pelos ônibus, e encaminhei à Câmara. Está nas mãos dos vereadores apreciar e ver a situação”, diz.

Conforme Solda, Rio Azul hoje tem capacidade de solicitar mais empréstimos, pois as contas que foram herdadas da gestão anterior estão em dia. Porém, a contração de novos empréstimos depende da autorização da Câmara. “É o ato de fiscalizar, eles foram eleitos para fiscalizar. Eles têm que avaliar se existe algo errado. Mas não há nada errado em nenhum pedido que fiz até hoje à Câmara. Se existisse, eu teria que fazer correções. É assim que funciona esse diálogo entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo. Agora, mudar o pedido, a natureza do objeto, quem faz isso é o prefeito”, acrescenta.

O município depende da aprovação do Legislativo para o pedido de empréstimo para só então proceder a licitação da compra dos ônibus, das caçambas e da pavimentação. Uma emenda parlamentar, de R$ 700 mil, do deputado federal Evandro Roman (PSD), que estava prevista para atender ao projeto de revitalização da Praça Tiradentes, já está assegurada, segundo o prefeito. “Conseguimos a emenda no ano passado e já está alocado o dinheiro. Tenho um prazo e é por isso que vou dividir em duas etapas o projeto da Praça e vou dar seguimento. Vou continuar, achar uma alternativa. Quem sabe, um deputado que foi bem votado em Rio Azul possa liberar essa outra parte do financiamento”, prospecta.

PUBLICIDADE

A obra completa custa aproximadamente R$ 1,3 milhão e o prefeito busca alternativa para obter esses outros R$ 600 mil sem onerar os cofres municipais. “O projeto que vi em Brasília custava R$ 5 milhões”, compara.

“A qualidade do projeto é referência na região. Se eles acharem um mais barato, que me mostrem”, desafia. O projeto de revitalização da Praça Tiradentes foi desenvolvido pelo arquiteto da Amcespar, Diórgenes Ditrich, e apresentado aos munícipes em audiência pública, no ano passado. Solda destaca que o projeto atende a regras de acessibilidade, condições de uso e material de qualidade, a fim de dar mais valor a um patrimônio público.



Comentários

AO VIVO
FM
23:00 às 23:59 Najuá Night Club Programação Najuá