Notícias Irati e Região

15/12/17 - 18h38 - atualizada em 15/12/17 às 19h18

Lideranças empresariais e políticas discutem criação de Polo Industrial Regional em Irati

Proposta é a de que a unidade regional seja implantada nas proximidades da área do IAPAR, no limite entre os municípios de Irati e Fernandes Pinheiro, às margens da BR-277

Edilson Kernicki, com reportagem de Jussara Harmuch e informações Assessoria 

Lideranças empresariais e políticas discutiram a proposta de criação de um Polo Industrial Regional em Irati, durante reunião realizada na Associação Comercial e Empresarial de Irati (ACIAI), na manhã de terça-feira (12). A proposta é a de que a unidade regional seja implantada nas proximidades da área do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR), no limite entre os municípios de Irati e Fernandes Pinheiro, às margens da BR-277.

“A ideia surgiu numa reunião na ACIAI há algum tempo atrás. Hoje ela está ganhando força e deve ser estendida para diversas regiões produtivas no estado do Paraná”, comenta o deputado estadual Márcio Pauliki (PDT), presidente da Comissão de Indústria, Comércio, Emprego e Renda da Assembleia Legislativa (ALEP), que desenvolve o projeto do Polo Industrial Regional em todo o Estado. 

PUBLICIDADE
“Temos aqui uma união de forças e se houver uma divisão, que seja de tarefas. Um município não pode concorrer com o outro no quesito desenvolvimento econômico e, sim, se unir para concorrer com outras regiões, que já estão unidas há muito tempo e que estão levando investimentos. Portanto, o Distrito Industrial do Centro-Sul será uma realidade, com certeza”, acrescenta.  

O presidente da ACIAI, Oscar Muchau, destacou que a entidade apoia todas as ideias positivas que contribuam para impulsionar o desenvolvimento econômico de Irati e da região e de ideias que permitam a geração de emprego e renda e oportunidades para empresários e comunidade em geral.

Com o objetivo de impulsionar o desenvolvimento regional, o projeto pretende descentralizar a geração de emprego e renda no Paraná. “Para isso, precisamos criar condições apropriadas para a instalação de novas indústrias. E às vezes essa conquista é inviável para um município pequeno. Quando falamos em potencial regional, fica mais fácil a atração de investimentos”, sustenta o parlamentar.

Projeto de criação do Polo Industrial Regional foi apresentado em reunião na ACIAI
Um dos responsáveis pelo projeto do Polo Industrial Regional no estado do Paraná, Antonio Laroca Neto, observa que uma das finalidades da iniciativa é aproveitar as características e peculiaridades produtivas de cada região a favor do desenvolvimento industrial. Segundo Laroca Neto, a escolha de um local para que uma indústria invista nele depende de dois fatores: a proximidade do mercado consumidor ou a proximidade da produção da matéria-prima. 

“Devemos criar condições atrativas para investimentos que tenham a peculiaridade regional”, analisa Laroca Neto. Um dos principais pontos positivos indicados por ele é a localização estratégica da Regional Centro-Sul, nas proximidades da BR-277, o que facilita o escoamento da produção.

A proposta é que o Polo Industrial Regional abranja os municípios de Irati, Fernandes Pinheiro, Imbituva, Rio Azul e Teixeira Soares. Irati e Fernandes Pinheiro, sedes do Polo, receberiam 35% do ICMS arrecadado, cada uma. Por extensão, os municípios de Imbituva, Rio Azul e Teixeira Soares dividiriam igualitariamente os 30% restantes. 

O Polo Industrial Regional já é uma realidade na região de Tibagi e agora se iniciam os trâmites para que a iniciativa seja aplicada na região de Irati. Em breve, o projeto deve ser estendido também às regiões de União da Vitória, Arapoti e outras. 

Engenheiro Igor Zampier enfatizou que projeto do Polo Industrial não pode atrapalhar os convênios do IAPAR já existentes
Os prefeitos de Irati, Jorge Derbli (PSDB); de Fernandes Pinheiro, Cleonice Schuck (PSB); de Rio Azul, Rodrigo Solda (PSDB) e de Inácio Martins, Júnior Benato (PSD), presidente da Associação dos Municípios do Centro-Sul do Paraná (Amcespar), participaram da reunião. Benato frisou a necessidade de as lideranças dos municípios da região se unirem a fim de atrair investimentos através de projetos como esse, que devem propiciar mais qualidade de vida à população dos municípios da região, com a geração da oferta de empregos e de renda. 

“Ficamos muito felizes porque o envolvimento, na verdade, é um comprometimento dos prefeitos, secretários e também diretores das associações comerciais e de pessoas ligadas a instituições da cidade, que estiveram presentes, sabendo da real necessidade desses investimentos e do desenvolvimento que buscamos tanto. E a Associação Comercial busca desenvolvimento para Irati e região”, comenta Muchau. 

Área disponível 

A intenção é utilizar uma área de até 50 alqueires do terreno do IAPAR, se possível, próximo à rodovia federal, utilizada em regime de comodato com o Estado, para que o governo estadual possa aplicar os investimentos iniciais, para a estrutura básica e, a partir daí, atrair as indústrias que pretendem se instalar na região. “Como Irati já está avançada num Programa Municipal de Atração de Investimentos (PMAI), junto à Agência Paraná de Desenvolvimento, tenho certeza de que em todas essas missões técnicas que fazemos, no mundo inteiro, muitas indústrias, muitas empresas vão se interessar aqui pela região”, aposta Pauliki. 

PMAI 

Representante do IAPAR falou sobre as diversas atividades e ações técnicas realizadas na Fazenda, entre elas, a pesquisa e desenvolvimento de sementes com alta qualidade genética
O PMAI realizará um levantamento das potencialidades econômicas a serem exploradas num município. O estudo terá o custo de R$ 60 mil, dos quais a ACIAI arca com 10% do valor. Os 90% restantes, conforme Oscar Muchau, serão divididos entre a Câmara e o Executivo. “Isso ainda não foi quitado porque não foi assinado o termo de adesão, o que acontecerá a partir de fevereiro. O custo cobre todo o trabalho de pesquisas, de deslocamento dos técnicos da Agência Paraná de Desenvolvimento para todo esse trabalho. Eles também vão precisar de pessoas ligadas à gestão pública para acompanhá-los em várias localidades e no interior da nossa cidade, para levantar dados”, revela Muchau. 

SEAB realizará avaliação técnica da área

O chefe regional da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SEAB), o engenheiro agrônomo Igor Felipe Zampier, observa que, enquanto o deputado realiza a negociação política para o uso da área da Fazenda do IAPAR para a possibilidade de instalação do Polo Industrial Regional, cabe à SEAB a avaliação técnica da área quanto à sua compatibilidade para acolher um Polo Industrial sem agredir, por exemplo, a legislação ambiental. 

Reunião contou com a presença do deputado Márcio Pauliki e do secretário de Desenvolvimento Econômico de Irati, Ico Andreassa
“Por mais que seja do Estado, é uma área que tem dono, que já é produtiva, que já está instalada e que faz parte, dentro de um projeto técnico do Estado, de ampliação de trabalhos, uma vez que temos uma demanda muito grande da agricultura familiar, das 40 mil e poucas famílias que temos no território e isso já está integrado dentro do nosso projeto técnico há quatro anos. Já temos um desenvolvimento tecnológico há mais de 40 anos no IAPAR, e isso tem que ser levado em consideração”, salienta. 

Zampier reconhece que a área que margeia a BR-277 seria ideal para a instalação do Polo Industrial Regional. “Nossa fachada do IAPAR, ali, é muito pequena nossa abrangência com o limite da 277. Nossa área maior adentra e faz divisa com a Flona e com o IAP. Claro que essa frente pode ser utilizada e ninguém coloca viseira sobre os olhos de que ali é uma área extremamente comercial, tendo como margem a 277, que é nossa principal via de fluxo de produtos hoje”, diz. 

De acordo com Zampier, a reunião ainda era a primeiro contato mais concreto do IAPAR com o projeto, que ainda não tinha sido formalmente apresentado. “Não tivemos nem apresentação do projeto, tivemos só uma conversa de intenção. A ideia é agora sentar com a equipe do deputado, a equipe do Planejamento, para estudarmos uma proposta melhor, que não prejudique as atividades do IAPAR, uma vez que temos hoje um convênio em formalização com o IFPR, um convênio em formalização com a Unicentro, que depende de pesquisa, que é a principal função da unidade aqui”, enfatiza.

O Comandante do Corpo de Bombeiros de Irati, Capitão Jorge Augusto Ramos, que participou do encontro na ACIAI, destacou a necessidade de que as obras da Transbrasiliana comecem, pois além da BR 277, importante corredor, a BR-153 é essencial para ligar às regiões de Santa Catarina.

Missão técnica no Irã 

O presidente da ACIAI, Oscar Muchau, adiantou que recebeu convite do deputado federal Evandro Roman (PSD-PR) para participar, em fevereiro, provavelmente entre os dias 9 e 16, de uma missão técnica ao Irã, que vai reunir 20 prefeitos e 20 empresários, a fim de prospectar eventuais investimentos industriais do Irã em municípios brasileiros.

Comandante do Corpo de Bombeiros de Irati, Capitão Jorge Augusto Ramos, destacou a importância da conclusão das obras da Transbrasiliana
 


Comentários

AO VIVO
AM
09:00 às 10:00 Espaço Cidadão Paulo Sava
FM
09:00 às 11:30 Sintonia Máxima Nilton Luy