Notícias Irati e Região

07/08/18 - 16h04 - atualizada em 07/08/18 às 16h06

Irati será contemplada com mais 317 unidades habitacionais

Casas do Residencial Cartom II serão destinadas para famílias com renda entre R$1,5 e R$ 2,6 mil mensais

Paulo Henrique Sava

Irati receberá mais um conjunto habitacional da Cohapar em 2019. A ordem de serviço para construção de 317 casas do Conjunto Habitacional Cartom II foi assinada na última quinta-feira, 02, pelo prefeito Jorge Derbli (PSDB), em evento realizado nas dependências do Centro de Convivência de Idosos do bairro Rio Bonito.

O novo projeto será executado em parceria entre a Cohapar, o Governo do Estado, a Prefeitura de Irati e a Caixa Econômica Federal, que viabilizou os recursos para a construção das novas unidades habitacionais. Inicialmente, o programa irá beneficiar famílias já cadastradas no sistema da Cohapar e que estejam na faixa 1,5 do programa Minha Casa, Minha Vida (formada por famílias cuja renda esteja entre R$1,6 e R$2,6 mil mensais). A distribuição das casas será feita por chamamento público. Posteriormente, famílias com outras faixas de renda também poderão ser chamadas. Neste caso, a pessoa poderá utilizar o subsídio do programa, que poderá chegar a R$17,5 mil, para custear o valor da entrada do imóvel .

PUBLICIDADE

Em Irati, o déficit habitacional é de aproximadamente 2,5 mil famílias. O diretor da Cohapar, Orlando Agulham Júnior, destacou que, quanto mais pessoas se inscreverem nos programas habitacionais da entidade, maior será este número. “Tomamos um certo cuidado para não aumentar a expectativa”, frisou.

“As casas têm 20% de entrada, mas com o valor de R$ 17,5 mil, praticamente zera o pagamento da entrada. Isto é proporcional à renda da pessoa: quem tiver R$1,6 mil, com certeza terá subsídio de R$ 17,5 mil; quando a renda chegar em R$ 2,6 mil, este subsídio vai cair consideravelmente. Esta é a regra do programa. As casas estão muito bem localizadas. Isto enfrenta o déficit habitacional diretamente”, pontuou.

Fotos: Paulo Henrique Sava


Apesar de a ordem de serviço ter sido assinada apenas na última quinta-feira, as obras já vem sendo realizadas há alguns meses. No total, das 317 casas, 40 já foram erguidas. No entanto, conforme o prefeito Jorge Derbli, as casas devem ser entregues somente no final de 2019. “Eu acredito que são 12 meses, vai até o final do ano que vem para construir, mas esta empresa a gente conhece e sabe que será uma casa de alto padrão no sentido de construção: uma casa bem feita, que não tem trinca nem nada. Nós vamos exigir, com a nossa fiscalização, que sejam casas boas, porque você vai ter que pagar uma prestação por muito tempo. Queremos uma casa à altura da necessidade do nosso povo”, pediu.

PUBLICIDADE

O presidente da Cohapar, Nelson Cordeiro Justus, garantiu que o projeto, assim como o Condomínio do Idoso, deve ter início o mais breve possível. “Tudo isto que a gente veio anunciar não é discurso, pois quando trazemos é já com a confirmação do recurso, com a lição de casa feita. Geralmente, a gente precisa, assim como na Casa do Idoso, é que o prefeito indique a área e doe para a Cohapar. Isto já foi realizado, agora falta tão somente a doação e já iremos elaborar a licitação. Quando damos esta autorização, até por ser um último ano de mandato, temos que ter a responsabilidade de deixar este recurso para que este projeto torne-se realidade. Nos casos das ordens de serviço, já é de regularização, com dinheiro em caixa e licitação: é o pontapé para o início das obras”, comentou.

Os interessados em adquirir as residências do programa poderão utilizar o FGTS como parte do pagamento dos imóveis. Justus solicita que os municípios da região atualizem o cadastro das famílias no site da Cohapar. “Irati é uma cidade que tem sido procurada pelas construtoras porque temos mais de 2 mil cadastros de pessoas que manifestaram interesse em ter casas, o que viabiliza o empreendimento. Tendo empreendimento, o dinheiro do FGTS está lá e tendo a boa parceria da Prefeitura com a Cohapar, conseguimos atender a esta demanda porque o dinheiro no FGTS nunca deixou de existir. O maior desafio sempre são para as famílias que não têm renda, onde a dificuldade é maior. Tendo demanda, como é o caso de Irati, sempre estaremos atuando, como estamos fazendo hoje nestas 317 unidades”, destacou.

PUBLICIDADE

Outros municípios da região devem receber habitações rurais nos próximos dias. Além disso, Irati também receberá em breve um projeto para regularização fundiária de mais de mil lotes, que ainda não possuem documentação. A ordem de serviço deve ser assinada em breve. Os municípios de Fernandes Pinheiro e Teixeira Soares receberam também casas do programa Família Paranaense.

Outras unidades devem ser construídas também em Inácio Martins. Prudentópolis e Imbituva também devem receber o Programa de Regularização Fundiária.

“Tem um pacote bom de medidas que é obrigação da Cohapar trazer habitação de interesse social, agora casas para os idosos que mais precisam no final de suas vidas, e a regularização fundiária, que é o título de propriedade para as famílias que não têm o título de propriedade dos seus imóveis”, finalizou.

Os interessados em participar do programa podem fazer inscrição no site da Cohapar ou procurar a Secretaria de Assistência Social de Irati pelo telefone (42) 3907-3102.

PUBLICIDADE


Comentários

AO VIVO
AM
00:00 às 05:00 Rede Milícia da Imaculada Rede Milícia Sat
FM
00:00 às 04:00 Najuá Night Club Programação Najuá