Notícias Irati e Região

23/09/11 - 01h39 - atualizada em 23/09/11 às 10h44

Feirão do Imposto mostra que consumidor paga caro por tributos e recursos arrecadados não são aplicados de forma satisfatória

Feirão do Imposto teve a finalidade de conscientizar a população para exigir que o dinheiro arrecadado com impostos seja aplicado em serviços públicos de qualidade. Taxa tributária alta, comparada a outros países, encarece o preço final dos produtos
Rodrigo Zub

No último dia 13 de setembro, o impostômetro atingiu a marca de R$ 1 trilhão de impostos pagos pelos brasileiros em 2011. Pesquisas revelam que o brasileiro trabalha em média, cinco meses por ano somente para pagar impostos. Os números não mentem e mostra de fato qual é a realidade do País, que vive a mercê da alta carga tributária que faz com que o preço de muitas mercadorias e bens de consumo sejam vendidos muito acima do valor de mercado. Muitas vezes não percebemos, mas o imposto está presente em cada produto que compramos ou em cada conta que pagamos.

Simulação:

Produto

Preço

Imposto

%

Xarope

22,96

8,03

35

Aspirina

4,69

1,59

34

Absorvente

2,12

0,72

34

Esc. dente

3,50

1,19

34

Desodorante

4,99

1,84

37



É notório que precisamos pagar impostos. É com eles que o governo pode prestar serviços como saúde, educação e segurança. Mas o brasileiro precisa acordar, reclamar e principalmente fiscalizar para saber para onde vai o seu dinheiro.

Feirão do Imposto

Por esse motivo, com a finalidade de conscientizar e mostrar a população como é o calculado e qual é a taxa de impostos pago pelo consumidor sobre os produtos que ele consome, a Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Irati (ACIAI), em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e o apoio do Conselho Nacional e Estadual dos Jovens empresários (Conjove/PR) realizou no último sábado, 17, na Rua Munhoz da Rocha, o Feirão do Imposto em Irati.

Enezito diz que as pessoas ficam impressionadas e muitas delas nem tem conhecimento da quantidade de impostos pagos
O coordenador da FIEP em Irati, Enezito Ruppel explica que a iniciativa de criar o Feirão foi de poder informar e educar a população a respeito do quanto se paga em impostos. “A nossa carga tributária brasileira é uma das maiores do mundo, mais na verdade o consumidor final pouco sabe desta tributação. E nós enquanto empresários, temos que fazer nossa parte passando estas informações para o consumidor final”, indica.

Alta carga tributária

Enezito diz que é difícil calcular quanto o consumidor paga em média de impostos sobre os produtos que ele compra, especialmente porque as alíquotas variam de acordo com o valor de cada imposto. Mesmo assim, ele cita o exemplo de alguns produtos básicos na mesa do consumidor que possuem uma alta taxa tributária, que se fosse extinta diminuiria em mais de 30% o valor final do produto.

“Temos vários impostos ICMS, INSS, Cofins, IPI, ITBI Municipal, então é realmente difícil de você formular um pensamento de quanto que é. Mas para ter uma ideia, a gasolina, por exemplo, custa 53%, a energia elétrica 45%, o açúcar 40,5%, a farinha de trigo 34,47%”, revela Enezito citando os índices de tributos pagos pelo consumidor em cada um desses produtos ou bens de serviço.

De acordo com pesquisas do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBTP), em 2010 o Brasil foi o décimo quarto colocado em arrecadação de carga tributária. Atrás apenas de países desenvolvidos, que revertem em educação, saúde, e infra-estrutura os altos impostos arrecadados.

“Basta olharmos os país desenvolvidos o dinheiro bem aplicado realmente ele traz retorno. No nosso caso, o próprio imposto do carro, que deveria ser retornado para a conservação das rodovias não é aplicado da forma correta. Então, o trabalho de sábado, foi importante para mostrar que o preço final de um simples cacho de banana, por exemplo, tem 27% de imposto. O pessoal fica escandalizado e por isso, fazemos essa conscientização”, comenta Enezito.

Cartilha

Para que o consumidor saiba de que forma seu dinheiro é aplicado e para que servem os impostos, a FIEP lançou em 2010, a cartilha denominada “Sombra do Imposto”, que mostra em detalhes ao contribuinte qual o destino dos tributos arrecadados.

“Aqui na cartilha mostra claramente onde é aplicado, como é aplicado, é uma cartilha que nós queremos também trabalhar muito com a criança no colégio, para que a criança crie uma consciência de que o dinheiro seja aplicado em serviços públicos de qualidade”, reflete Enezito.



Comentários

AO VIVO
AM
05:00 às 10:00 Domingo Sertanejo Edson Luís
FM
05:00 às 08:00 Domingo Sertanejo Julinho