Notícias Irati e Região

15/05/19 - 14h56 - atualizada em 15/05/19 às 15h10

Estudantes e professores do IFPR e da Unicentro fazem manifesto em Irati

Entre os temas que estão em pauta nesta mobilização, estão o contingenciamento de recursos anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) e a Reforma da Previdência

Paulo Henrique Sava


Estudantes e professores da Unicentro e do Instituto Federal do Paraná [IFPR] campus Irati aderiram à mobilização nacional que está ocorrendo em diversas cidades nesta quarta-feira, 15. Entre os temas que estão em pauta, estão o contingenciamento de R$ 1,7 bilhão para as universidades e institutos federais de todo o Brasil e a Reforma da Previdência.

De acordo com informações publicadas pelo portal G1, este valor corresponde a 24,84% das despesas chamadas “discricionárias”, ou seja, aquelas que não são consideradas obrigatórias, como pagamentos das contas de água, luz, compra de material básico e realização de investimentos em pesquisas.

Em Irati, a mobilização começou por volta das 09 horas com uma concentração na esquina das ruas Dr. Munhoz da Rocha e 15 de Julho. Em seguida, os manifestantes fizeram uma passeata pelo centro da cidade. Em vários momentos eles fizeram paradas e gritaram palavras de ordem. A estudante do curso de Agroecologia do IFPR, Yasmin Caetano, alerta que o contingenciamento de recursos está prejudicando o funcionamento da instituição. “A nossa educação está sendo sucateada e a gente diz que não quer negociação. Não aceitamos a Reforma da Previdência e os cortes: queremos 100% do nosso orçamento e estamos lutando a favor disto”, comentou.

Continua depois da publicidade

PUBLICIDADE

A professora Michele Fernandes Lima, do Departamento de Pedagogia da Unicentro, ressalta que houve uma grande adesão de estudantes, professores e servidores da Unicentro e do IFPR ao movimento. Ela comentou que os cortes no orçamento somente do IFPR chegaram a 37% neste ano.

“Estamos vivendo um momento contrário à educação pública. Estamos nas ruas para mostrar os nossos projetos, a pesquisa, o conhecimento, os projetos de extensão, toda a ação que realizamos dentro da universidade. Tivemos uma adesão muito boa, estamos desde as 09 horas com um movimento pacífico em prol da educação pública. Temos esperança que estes cortes comecem a ser desbloqueados para as universidades e institutos federais”, comentou.

A programação segue agora à tarde em Irati, com uma roda de conversa na Rua da Cidadania. Durante a tarde e a noite, estão sendo feitas panfletagens no campus da Unicentro e no IFPR. Haverá ainda uma palestra sobre o histórico da luta estudantil da universidade a partir das 19 horas, no auditório do campus, no bairro Riozinho.

Quer receber notícias pelo WhatsApp? Envie SIM notícias http://bit.ly/CliqueAquiWhatsSuperNajua

Por e-mail: http://bit.ly/2BiE4tC 

Continua depois da publicidade

PUBLICIDADE

Manifestações pela região e pelo país

Na região, a Universidade Estadual de Ponta Grossa [UEPG] também aderiu à paralisação. Outros estados brasileiros também registraram manifestações nesta manhã. Conforme informações do portal UOL, os maiores atos são esperados para a tarde de hoje no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Em Curitiba, a concentração ocorreu no período da manhã. Freis capuchinhos foram os primeiros a chegar à Praça Santos Andrade, no centro da capital. Estudantes, professores e servidores bloquearam as ruas da região. Alunos de escolas e universidades particulares também participaram do protesto.

Os protestos foram organizados após o MEC anunciar que faria contingenciamento de recursos desde a educação infantil até a pós-graduação. Por conta disso, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior [Capes] anunciou a suspensão de bolsas de pesquisas para as universidades.

Comentários

AO VIVO
AM
00:00 às 05:00 Rede Milícia da Imaculada Rede Milícia Sat
FM
00:00 às 04:00 Najuá Night Club Programação Najuá