Notícias Irati e Região

05/11/15 - 14h45 - atualizada em 05/11/15 às 17h48

Empresário reclama de animais soltos em bairros de Irati

Cachorros são deixados frequentemente nas proximidades de um posto de combustíveis entre os bairros Riozinho e Engenheiro Gutierrez
Paulo Henrique Sava

A cachorrinha Pipoca deu cria nos fundos de um posto de combustíveis na BR 153
Moradores e empresários das comunidades de Riozinho e Engenheiro Gutierrez convivem diariamente com o abandono de animais na região. Eles reclamam que muitas pessoas passam de automóveis e simplesmente abandonam cachorros nas proximidades de residências e estabelecimentos comerciais localizados às margens da BR-153.

O empresário Valderi Paulo Lepka diz que, por estar preocupado com a situação, já entrou em contato com a Prefeitura Municipal, com a Vigilância Sanitária, com a Secretaria de Ecologia e Meio Ambiente e até com a ONG SOS Amigo Bicho, mas nada foi feito para solucionar o problema. “Eu conheço o trabalho da ONG, sei que eles fazem tudo o que podem, mas no momento eles estão com muita dificuldade para trabalhar e não podem vir pegar todos os cachorros abandonados e colocar em outro lugar. Eu tenho plena consciência disso, mas o fato é que estão aparecendo muitos animais abandonados”, comentou.

Quanto aos demais órgãos, a alegação é de que falta estrutura para que os mesmos possam recolher os animais. “Acabaram todos os órgãos me remetendo à ONG SOS Amigo Bicho, mas esta, por si só, não tem como fazer muita coisa. Além da castração, eles não têm como recolher, então, se o animal está doente aqui, eles vêm, tratam no local, até o animal se curar, e tentam arranjar doação, mas está muito difícil, tem muito mais animais para abandonar que para doar”, comentou.

Esta cachorrinha foi abandonada há pouco tempo no local
O cachorro Costela foi adotado pelos empresários do bairro


 Valderi ressalta que os cães têm sido abandonados à luz do dia, e que não há câmeras de segurança no bairro para registrar esta situação. “Fica este alerta, eu gostaria que as autoridades tomassem alguma providência. Eu encaro isso como um problema de controle de zoonoses, como se fosse uma infestação de escorpiões, abelhas ou outros animais. Os cachorros estão com doenças e circulam livremente por aqui”, frisou.

O empresário afirma que diversos animais morrem atropelados diariamente na BR- 153. “Isso nunca vai ser um caso isolado, porque é muito comum aqui na nossa região”, destacou.

Valderi comenta que está preocupado com o abandono de animais na localidade
De acordo com Valderi, cada um dos funcionários do restaurante onde ele trabalha já levou para casa e cuida de pelo menos dois animais. “Eu levei animais muito debilitados, dos quais eu cuidei e tratei, alguns deles não conseguiram sobreviver, já consegui doação para alguns também. Hoje eu estou com dois cachorros lá em casa, a cozinheira já tem dois cachorros adotados, a faxineira levou um filhotinho que apareceu aqui, enfim, todo mundo está tentando fazer alguma coisa”, frisou.

O empresário pede, em nome de todos os moradores e empresários da região, que seja tomada alguma atitude no sentido de proporcionar algum tipo de assistência para os animais abandonados. “As cachorras, quando vão dar cria, fazem isso debaixo dos caminhões, que saem todos os dias pela manhã e voltam à noite. Os caminhoneiros vivem tirando [os animais] debaixo dos caminhões com cuidado para não acontecer nenhum acidente e nem matar os bichinhos, a coisa está alarmante”, comentou.

Conforme Valderi, os funcionários que trabalham na região estão se sentindo desconfortáveis com a situação dos animais, que não pertencem a nenhum empresário ou morador da região. “Eles são simplesmente abandonados na rodovia, acabam se dirigindo para cá por causa do cheiro da comida e ninguém quer maltratar os bichos. Eu entrei em contato com a ONG, que trata, traz ração e dá comida para eles. A gente não pode ter eles aqui, mas ninguém os maltrata, seria desumano isso”, frisou.

Projeto de Lei visa controlar abandono de animais em Irati

Secretaria de Ecologia e Meio Ambiente pretende realizar controle de zoonoses a partir da criação de um projeto de lei
A reportagem da Najuá procurou o Secretário de Ecologia e Meio Ambiente, Osvaldo Zaboroski, para falar a respeito do abandono de animais no município. Ele adiantou que o Executivo elaborou recentemente um projeto de lei que visa reger os princípios e objetivos relacionados aos animais no município, a qual deverá passar pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente (CMMA) antes de ser encaminhado para apreciação na Câmara de Irati.

No projeto, está prevista a “chipagem” dos animais para identificação do proprietário, a construção de um galpão para abrigar animais abandonados, nas proximidades da Floresta Nacional do IBAMA, e a aplicação de uma multa no valor de R$ 1.200 por animal abandonado ou maltratado pelo proprietário. “É um novo projeto, que eu acho que é um marco para o município, para termos adequações não somente na lei, mas ter a obrigação de formar, através de associações, de princípios básicos que, no tocante à minha pessoa, vai ter o maior apoio. Eu vou tentar com vários amigos, como a Associação ADERE, a ONG SOS Amigo Bicho, com a Unicentro e com todas as entidades que nos procuraram, fazer um bom trabalho”, comentou.

Zaboroski disse também que a Prefeitura, através da Secretaria de Ecologia e Meio Ambiente, em parceria com diversas instituições, como a ACIAI, está procurando o local ideal para fazer a chipagem dos animais de rua, para haver um controle da população de animais no município. “Através da Vigilância Sanitária, quem sabe a gente consiga um censo, o que é muito importante, para vermos quantas pessoas têm animais e quantos destes por pessoa há no município. Então, esta nova lei eu acredito que vai ser um marco para a nossa cidade”, frisou.

O secretário acredita que, com a chipagem, a castração e com os animais ficando em ambientes bem organizados, o número de cães soltos diminuirá no município. “Isto dá uma condição melhorada para estes animais não destruírem mais as lixeiras e não entrarem mais em lojas, em centros de alimentação. A convivência com animais é sadia, mas com bichos que estão doentes, é maléfica”, frisou.

Denúncia de maus-tratos

Casos de abandono ou maus-tratos de animais podem ser denunciados no telefone (42) 3907-3045. Casos mais graves podem ser informados para a Guarda Municipal pelo telefone 153, para o Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193, ou ainda para o Instituto Ambiental do Paraná (IAP).




Comentários

AO VIVO
FM
23:00 às 23:59 Najuá Night Club Programação Najuá