Notícias Irati e Região

13/09/18 - 01h23 - atualizada em 13/09/18 às 09h14

Apoiadores da Cultura protestam contra reabertura da Rua da Cidadania

Através de cartazes, manifestantes expressaram descontentamento e disseram que a Rua da Cidadania foi desviada de sua finalidade; ACIAI e Prefeitura discordam

Edilson Kernicki, com reportagem de Paulo Henrique Sava 

Apoiadores da cultura iratiense exibem cartazes solicitando que a Rua da Cidadania não seja reaberta para o trânsito de veículos

Artistas e entusiastas da Cultura realizaram um protesto silencioso no Plenário da Câmara de Irati, durante a sessão ordinária de terça (12). Com cartazes, eles expressaram o descontentamento com a reabertura da Rua da Cidadania para o trânsito de veículos e alegaram que o projeto foi desviado de sua finalidade. A Associação Comercial e Empresarial de Irati (ACIAI) e a Prefeitura discordam. Em nota, a assessoria de Comunicação afirmou que mesmo com a abertura para a passagem de veículos, o local será fechado para eventos culturais oportunamente.

“Estamos nos deparando com uma mudança nesse espaço, com uma alteração de uma obra onde já foi investido um grande recurso público, e agora ele está sendo destruído, para mudar a finalidade desse espaço”, critica a presidente do Conselho Municipal de Cultura, Maressa Macedo. Na visão dela, ainda que as ações artísticas e culturais continuem a ocorrer na Travessa Frei Jaime – ou Rua da Cidadania, a Prefeitura cometeu um equívoco em não consultar o Conselho de Cultura, que é o órgão responsável por essas deliberações.

PUBLICIDADE

Essa mesma reclamação já havia sido expressada pelo ex-presidente do Conselho, Wellington Costa, em junho, quando a proposta foi apresentada à prefeitura pela Prefeiturpela Aciai. “São duas partes: tem a que defende o Urbanismo e a que defende a Cultura. Por isso que precisamos conversar para ver uma forma que fique bom para ambas as partes. A área da Cultura já é precária e já não temos espaço. Entendemos que tudo tem que ser planejado e feito de uma forma agradável para todos ou, pelo menos, para a maioria”, disse na ocasião.

PUBLICIDADE

“Estamos preocupados e estamos nos manifestando em relação a isso, para que esse contato seja feito, para que esse projeto sugerido e requerido por uma Associação que não é ligada à Cultura, não é ligada à Arte, e por uma Comissão de Trânsito, que também não tem relação com Cultura e Arte, para que esse contato seja feito, para que essa consulta seja feita. Além do Conselho de Cultura, nos posicionamos enquanto cidadãos e gostaríamos que os instrumentos que a Prefeitura tem para fazer isso sejam utilizados. Caberia, sim, uma consulta pública. Temos um espaço que é de todo cidadão, inclusive, o nome desse espaço é Rua da Cidadania, e não gostaríamos de perder nenhum aspecto desse espaço”, argumenta Maressa.

Manifestantes fizeram protesto silencioso durante a sessão da Câmara exibindo cartazes que demonstraram insatisfação sobre a reabertura da rua da Cidadania

A presidente do Conselho de Cultura afirma que não houve qualquer deliberação sobre a abertura da Rua da Cidadania para a passagem de veículos em uma faixa porque o Conselho sequer tinha conhecimento do projeto. “Não sabemos, de fato, o que vai acontecer, nem sabemos que parte vai ser alterada. Estamos abertos ao diálogo, estamos abertos às ações coletivas. Acreditamos que as Secretarias têm, sim, que dialogar, têm que tomar decisões em coletivo, em prol do bem comum”, define. Assim que soube que o assunto foi levado à Comissão de Trânsito o Conselho enviou correspondência à Câmara para oficializar o assunto. 

O presidente da Câmara, Hélio de Mello (MDB), alega que desconhecia a intenção da Prefeitura em efetuar mudanças na Rua da Cidadania a fim de retomar o tráfego em uma pista. “Porém, são adequações que vejo que o Executivo vem fazendo perante a algumas solicitações da comunidade e foi o que eu orientei. Orientei aos manifestantes e as pessoas que não concordam com a situação que procurem o Executivo. Realmente, não sei o que vai ser feito lá, não fui informado. Espero que venha para melhorar o centro da nossa cidade. Porém, não podemos perder aquele espaço que a comunidade tem e utiliza, que vemos, no final do ano, no Natal, que vemos na Páscoa, com a Toca do Coelho. Então, são espaços importantes dentro da nossa cidade”, pondera.

Presidente do Conselho de Cultura, Maressa Macedo, argumenta que o órgão não foi consultado sobre mudanças na via

O vereador Roni Surek (PROS), que ocupa vaga em nome da Câmara como titular na Comissão de Trânsito, acredita que o Legislativo, como representante da população, deveria ter debatido a proposta antes de ela ser colocada em prática. “Acredito que isso poderia ter sido discutido, entre nós vereadores, para que os vereadores, que representam a população, pudessem ter acesso a essa informação e poder repassar aos iratienses”, afirma. Surek esteve ausente à reunião da Comissão de Trânsito que aprovou a mudança e não soube justificar a ausência. “Não lembro que compromisso eu tinha, mas quero dizer que dificilmente eu falto a alguma reunião. Se por acaso eu não estava nessa reunião era porque o motivo era muito justificável, até porque faço parte de outros Conselhos”, argumenta.

O vereador Rogério Kuhn (PV), que já presidia a ACIAI quando a Rua da Cidadania foi criada, afirma que o projeto ficou pela metade. “Agora, o que vamos fazer? Acabar com o que já foi feito, com o que foi gasto e simplesmente modificar? Não. O que o [ex-prefeito] Odilon [Burgath] tentou fazer foi bonito, mas não conseguiu fazer. O que ele apresentou à sociedade na época não foi cumprido”, defende.


Kuhn opina que, apesar de a Rua da Cidadania ser interessante, ela implica dois graves problemas. Um deles é a exigência da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que exige que as agências bancárias tenham acesso exclusivo para carro forte, como protocolo de segurança nacional. Na Rua da Cidadania, existe uma agência do Sicoob – no prédio da ACIAI. “O banco Sicoob se calou durante todo esse tempo, e agora está começando a se incomodar. O Executivo pretende fazer ali uma rua, de segunda a sexta, com acesso numa mão só, subindo e com estacionamento para atender à Associação Comercial, o banco Sicoob e para deixar o seu Augusto Van Der Laars entrar na sua residência. Esse é um direito dele, na época ele poderia ter sido contra. Sou a favor de que haja isso, sem modificar os pavers, sem gastar dinheiro, apenas com pintura no chão e com tachões”, sugere.

Para o vereador, a abertura de uma faixa na Rua da Cidadania não interfere em sua finalidade. “Não vejo onde que isso interfere na Cultura. Temos que procurar nossos deputados, o Estado, os Ministérios, para que ali façamos algo como era a ideia do Odilon, um negócio bacana, talvez até coberto para que, em dias de chuva, os eventos cívicos aconteçam. A qualquer momento que decidirmos mudar aquilo de novo, podemos mudar, porque não vai ser alterado em nada o projeto, que, inclusive, não foi terminado o projeto original”, pontua Kuhn.

O vereador José Bodnar (PV), suplente na Comissão de Trânsito, e engenheiro da Secretaria de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, se absteve de comentar o assunto, pois não participou da reunião em que o pedido da ACIAI para a reabertura da Travessa foi aprovado. Zequinha justificou à nossa reportagem que estava em Curitiba, no dia da reunião, a serviço da Secretaria e que não estava inteirado do projeto para emitir uma opinião a respeito.

Prefeitura já iniciou mudanças

Desde o início da semana, operários da Prefeitura iniciaram alterações na Rua da Cidadania. A administração assegura que não será desviada de sua finalidade, que é a promoção de eventos culturais e artísticos.

Em nota divulgada à imprensa, a Prefeitura explica que a Rua da Cidadania está recebendo nova sinalização e uma guia rebaixada, para que haja uma via de passagem para veículos pequenos, com espaço para estacionamento. A alteração atende a uma exigência da Febraban, para que os carros de transporte de valores tenham um espaço específico de parada – no caso dessa via, o banco Sicoob.

Ainda conforme a Prefeitura, o pedido da ACIAI foi aprovado por unanimidade pela Comissão Municipal de Trânsito.

Quer receber notícias locais? Envie whats para 42 991135618 SIM NOTICIAS ou cadastre seu e-mail na newsletter pelo site da Najuá

Comentários

AO VIVO
AM
10:00 às 11:00 Experiência de Deus Padre Reginaldo Manzotti
FM
09:00 às 11:30 Sintonia Máxima Nilton Luy