Esportes Futebol

27/05/17 - 22h42

Iraty voltará a jogar na segundona com o desfecho do caso envolvendo a Lusinha

Azulão voltará a campo depois de 40 dias sem jogos para o Grupo A da 2ª Divisão Paranaense. Portuguesa Londrinense se livrou de condenação, mas terá que pagar multa

Da Redação, com informações de Net Esporte Clube e reportagem de Tadeu Stefaniak, Ademar Bettes e Neizinho Pepe 

PUBLICIDADE
A penitência quaresmal acabou para atletas e torcedores do Iraty, Operário, União e Portuguesa Londrinense: foi encerrada a suspensão dos jogos da 2ª Fase do Grupo A da 2ª Divisão do Campeonato Paranaense. Nenhum dos times jogava desde a última rodada da 1ª Fase, no dia 16 de abril. Pelo calendário oficial, neste domingo (28) deveria ocorrer a rodada final do 2º turno da 2ª Fase, algo que vai acontecer apenas para o grupo B, que é formado por Paranavaí, Maringá, Cascavel e Andraus.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), com sede no Rio de Janeiro, absolveu, em última instância, a Portuguesa Londrinense pela escalação irregular do zagueiro Lucas Luiz Marcato, em jogo disputado na primeira rodada da 1ª Fase, contra o Iraty. Dessa forma, perde o efeito a liminar obtida pelo Grêmio Maringá, que suspendia os jogos até a decisão final. A expectativa agora é a de que a Federação Paranaense de Futebol (FPF) remarque as datas das partidas, com a próxima rodada já na quarta-feira (31).

A decisão do STJD foi favorável a Lusinha, que não perdeu os pontos e se mantém no Grupo A, enquanto o rebaixamento do Grêmio Maringá para a 3ª Divisão em 2018 foi confirmado. A Portuguesa foi multada em R$ 1 mil.

Iraty jogou pela última vez no dia 16 de abril contra o Maringá, no estádio Coronel Emílio Gomes
Na primeira rodada dessa 2ª Fase, ainda sem data definida pela FPF, o Operário estreia contra a Portuguesa Londrinense, no Germano Krüger, em Ponta Grossa. A princípio, o Iraty deveria receber o União, de Francisco Beltrão, no Emílio Gomes.

O treinador do Iraty, Play de Freitas, comentou durante participação via telefone, no programa Show de Bola, nesta sexta (26), que enviou uma carta à FPF solicitando mudanças no calendário, porque entende que o clube seria prejudicado por disputar uma partida em casa numa quarta-feira – data que registra menor público em função do horário dos jogos – enquanto a Portuguesa Londrinense, responsável pela suspensão das partidas, teria o mando da partida num domingo. No documento, ele pede que a Lusa seja “punida” com os mandos de partidas no meio da semana.

Em princípio, os jogos seriam realizados aos finais de semana. Com o atraso de 40 dias, os jogos na quarta devem ser inevitáveis.

Suspensão das partidas

A suspensão dos jogos por tempo indeterminado foi definida pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) no dia 27 de abril.

O Grêmio Maringá (9º colocado na primeira fase, com sete pontos) entrou com recurso contra a Portuguesa Londrinense (8º colocado, com oito pontos) pela suposta escalação irregular do zagueiro Lucas Luiz Marcato, em jogo disputado na primeira rodada, justamente contra o Iraty.

O atleta permaneceu durante toda a partida no banco de reservas. Ele havia retornado de empréstimo do Ferroviário/CE, no dia 14 de março, e teve o nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Porém, conforme denúncia protocolada pelo Grêmio Maringá, o clube não informou a transferência a Federação Paranaense de Futebol (FPF), que só teve conhecimento da transação após a partida contra o Iraty.

Em dois julgamentos consecutivos no TJD, o Portuguesa Londrinense foi absolvido. No entanto, o Grêmio Maringá obteve uma liminar que suspendia os jogos e o ato homologatório da classificação na 1ª Fase enquanto não houvesse uma decisão em última instância (o STJD).

PUBLICIDADE


Comentários